segunda-feira, 16 de julho de 2012

Ministério da Pesca assina convênio de R$ 2 milhões para programa de piscicultura do Acre

Ministério da Pesca assina convênio de R$ 2 milhões para programa de piscicultura do Acre

E-mailImprimir
O governador Tião Viana e o ministro da Pesca, Marcelo Crivela, assinaram nesta quarta-feira, 4, em Brasília, um convênio no valor de R$ 2 milhões (Foto: Cedida)
O governador Tião Viana e o ministro da Pesca, Marcelo Crivella, assinaram nesta quarta-feira, 4, em Brasília, convênio no valor de R$ 2 milhões (Foto: Cedida)
O governador Tião Viana e o ministro da Pesca, Marcelo Crivella, assinaram nesta quarta-feira, 4, em Brasília, um convênio no valor de R$ 2 milhões. O recurso, fruto de emenda parlamentar do senador Aníbal Diniz, vai garantir assistência técnica para cinco mil famílias na área de aquicultura com a compra de máquinas e equipamentos para produção de peixes em cativeiro e a construção de 280 açudes. A previsão é de que o pagamento seja liberado até a próxima sexta-feira, 6.
Participaram da reunião o governador Tião Viana, o ministro Marcelo Crivella, o senador Aníbal Diniz e o secretário-executivo do Ministério da Pesca, Átila Maia da Rocha.
“A piscicultura é uma atividade em que acreditamos muito, por isso nosso governo faz um esforço intenso de trabalho para fortalecê-la, acreditando que o Acre será o endereço do peixe na Amazônia”, disse o governador.
O recurso, fruto de emenda parlamentar do senador Aníbal Diniz, vai garantir assistência técnica para cinco mil famílias (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
O recurso, fruto de emenda parlamentar do senador Aníbal Diniz, vai garantir assistência técnica para cinco mil famílias (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
“Estamos empenhados com todo o recurso técnico e financeiro em fazer com que o Acre seja um modelo de aquicultura para o país. Essas ações do governo propiciam a capacidade dos pequenos verticalizarem a produção”, afirmou o ministro, que também comentou que havia uma política de priorização para outras regiões em projetos dessa área. “Hoje estamos com um olhar muito atento para a Região Norte.”
“Nós agradecemos muito a atenção e presteza do ministro e da presidente Dilma com o Acre. É muito bom que o programa de piscicultura do Acre tenha conseguido a solidariedade do ministro da Pesca, Marcelo Crivella, e toda a equipe do ministério. Não tenho dúvida de que esse apoio é fundamental para esse empreendimento”, comentou o senador Aníbal.
O governo acreano está investindo R$ 51 milhões no programa de piscicultura, que prevê a construção de um complexo industrial com fábrica de ração - que será a mais moderna em tecnologia no país -, laboratórios de alevinagem e fábrica de processamento do peixe. Para dar suporte à cadeia produtiva e contemplar a agricultura familiar, os pequenos produtores foram envolvidos, e cinco mil açudes serão construídos pelo governo, através da Secretaria de Produção, até o fim de 2014. No ano passado foram construídos 1.160 açudes.
O governo acreano está investindo R$ 51 milhões no programa de piscicultura, que prevê a construção de um complexo industrial com fábrica de ração – que será a mais moderna em tecnologia no país (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
O governo acreano está investindo R$ 51 milhões no programa de piscicultura, que prevê a construção de um complexo industrial com fábrica de ração - que será a mais moderna em tecnologia no país (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Mercado - De acordo com o Instituto de Meio Ambiente do Acre e dos Recursos Naturais (Ibama), a produção de pescado no Acre (extrativa e piscicultura) reduziu na década de 1990. Naquele ano, o Acre, que chegou a produzir cerca de 3,8 mil toneladas, caiu para 2,4 mil toneladas em 1999, gerando um déficit de 36% na oferta de pescado.
No entanto, nesta década o setor vem apresentando sinais de recuperação. Em 2010, o Estado produziu cerca de 4,1 mil toneladas de pescado oriundos de cativeiro. Considerando-se o preço médio de venda (R$ 6 o quilo), o mercado de peixe de cultivo no Estado movimentou cerca de R$ 24 milhões.
Os tipos de peixes mais empregados na piscicultura são tambaqui, curimatã, pirapitinga, piau-açu, pintado e pirarucu. Essas espécies demonstram grande potencial para a piscicultura pelo rápido crescimento, facilidade de manejo e alta cotação de preço no mercado. Como atividade em franco crescimento, a piscicultura vem favorecendo o surgimento e a expansão de outros elos da cadeia produtiva, como as de empresas fornecedoras de insumos (rações e equipamentos).

Postar um comentário