terça-feira, 3 de julho de 2012

Oportunidade e Renda chegou a Iranduba e mais 36 municípios amazonenses no início deste mês. O projeto atende a 4,1 mil pessoas

O Oportunidade e Renda chegou a Iranduba e mais 36 municípios amazonenses no início deste mês. O projeto atende a 4,1 mil pessoas com qualificação profissional em 48 modalidades diferentes de cursos.
[ i ]Donas de casa e feirantes são alguns dos trabalhadores inscritos nos cursos.
Manaus - Pescadores, donas de casa e feirantes são alguns dos trabalhadores de Iranduba (a25 quilômetrosde Manaus) entusiasmados com a possibilidade de ampliar a renda a partir da participação em cursos voltados ao beneficiamento de pescado e piscicultura, oferecidos pelo Centro de Educação Tecnológica (Cetam) como parte do projeto Oportunidade e Renda, do Governo do Amazonas.
A feirante Roseneide da Silva, 50, é uma das beneficiadas pelo projeto. Ela faz parte de uma turma de 27 alunos do curso. Com carga horária de 120 horas, o curso ensina a elaborar novos produtos a partir do pescado, tais como linguiça, hambúrguer, farinha de piracuí, extração do filet e espinha, salga, além de abordar a questão da higiene. Para Roseneide, essa é a chance de ampliar a renda da família.
“Eu nunca imaginei vender mais do que o peixe fresco (sem beneficiamento). Agora eu vejo que essa qualificação vai ampliar o negócio da família”, disse a feirante, acrescentando que não mede esforço para conciliar o trabalho na feira com as aulas. “É uma oportunidade única que no meu caso o retorno é imediato. Colocando em prática a técnica de retirar o filet do peixe, o preço do cubiu fresco vendido a R$ 12 o quilo, chegará a R$ 20 se vendido em filet”, avaliou Roseneide.
O Oportunidade e Renda, que faz parte do programa Amazonas Social, chegou a Iranduba e mais 36 municípios amazonenses no início deste mês. O projeto atende a 4,1 mil pessoas com qualificação profissional em 48 modalidades diferentes de cursos.
De cinco modalidades de cursos disponíveis em Iranduba, a dona de casa Almerinda Barbosa, 53, escolheu as aulas de ‘Piscicultura Básica com Ênfase na Fabricação de Ração’. Para ela, além de aumentar as chances de empregabilidade, o curso também estimula o surgimento de novos negócios para o interior. “Após a construção da ponte muitas empresas desse segmento estão se instalando aqui, até porque a atividade de piscicultura é muito forte em Iranduba”, observou Almerinda, ressaltando que espera entrar no mercado de trabalho.
De acordo com a presidente do Cetam, Joésia Pacheco, a integração do interior consolida a primeira etapa do Oportunidade e Renda que, na capital, ofereceu 18 mil vagas. “A qualificação profissional do homem do interior demonstra a continuidade do projeto preconizado pelo governador Omar Aziz. Os cursos têm carga horária que varia de 60 horas a 150h”, informou Joésia.
Cada município foi contemplado em média com quatro modalidades de curso. Para cada localidade as áreas de qualificação variam desde o curso de pintor de obras ao de recepcionista em meios de hospedagem. Conforme a presidente do Cetam, a oferta leva em consideração a demanda por profissionais, bem como a possibilidade de gerar renda no município. “A ideia do projeto é fortalecer a economia do interior. Isso requer profissionais qualificados que atendam as exigências do mercado, além de cabeças capazes de tocarem o próprio negócio”, explicou.
Nesta etapa, os municípios beneficiados são: Autazes, Boa Vista do Ramos, Boca do Acre, Barcelos, Borba, Canutama, Carauari, Codajás, Coari, Careiro Castanho, Envira, Eirunepé, Fonte Boa, Guajará, Humaitá, Ipixuna, Iranduba, Itacoatiara, Itamarati, Itapiranga, Lábrea, Manacapuru, Manaquiri, Manicoré, Nova Olinda do Norte, Parintins, Pauini, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, São Gabriel da Cachoeira, Silves, Tabatinga, Tefé, Urucará e Urucurituba.
Postar um comentário