quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Governadora lança projecto de piscicultura no Mona Quimbundo


Governadora lança projecto de piscicultura no Mona Quimbundo 
Saurimo – A governadora da província da Lunda Sul, Candida Narciso, efectuou terça-feira, o lança do projecto de piscicultura da comuna de Mona Quimbundo, enquadrado no programa de apoio ao desenvolvimento económico e social das populações, em curso em todo o país.


O coordenador do projecto, Armando Jorge Segunda, disse que o protocolo de cooperação para o  programa de extensão rural de desenvolvimento comunitário, da agricultura e de piscicultura, celebrado entre o governo provincial e a sociedade mineira de “Catoca”, surge no quadro do pensamento estratégicos do governo de Angola, quanto ao combate à fome e à pobreza.


Segundo o interlocutor, o objectivo do mesmo é o de fomentar ainda a fruticultura, capacitação dos agricultores, formação e enquadramento de jovens agricultores e piscicultores, e aumentar a produção de alimentação para gerar o desenvolvimento sócio-económico na província.


O projecto vai beneficiar as populações locais que vivem da agricultura, especialmente os jovens, estimulando-os a permanecer no campo e desenvolver empresas vinculadas à agricultura familiar.


Vai contribuir igualmente para a qualificação técnica do empresariado ligado à área, ajudando a criar condições dignas de vida para o homem do campo e formar pessoas capazes de aplicar e multiplicar os conhecimentos que aqui se vai adquirir, referiu Armando Segunda.


O coordenador do projecto, que numa primeira fase  vai contar apenas com 37 trabalhadores,  disse que “a visão do governo é de transformar a Lunda Sul num centro de referência em mandio-cultura, piscicultura e fruti-cultura, para contribuir no aumento da produtividade do agro negócio e da educação no campo”.


Dos trabalhadores, 30  vão funcionar na comuna do Mona Quimbundo, e sete (7) do município do Lumbala Nguinbo, onde o referido projecto se estende.


Nesta etapa, 11 lagoas servirão para a produção e multiplicação de peixes, no âmbito do projecto de piscicultura, e, futuramente, vai contar com especialistas estrangeiros com conhecimento mais amplo no domínio, que poderão fornecer mais dados e técnicas aos pequenos e grandes criadores de peixe da região.


Por sua vez, Dom José Manuel Imbanba, Arcebispo da Diocese de Saurimo, disse que este projectos trará muitos ganhos para a sociedade do campo e não só e considerou-o de um abrir portas para que todos cidadãos aprendam a beneficiar-se da terra, a cultiva-la, e a tirar dela todos os frutos indispensáveis, para resolver os vários problemas de fome, de pobreza, e outros problemas sociais que enfrentam.


Já o administrador comunal do Mona Quimbundo, António Jaime Ifindefinde, mostrou-se satisfeito e disse que o projecto é uma mais-valia para o povo das Lundas, porque vai gear empregos para muita juventude e pediu que, em cada projecto do género, se pense também na resolução dos problemas da comuna, visto ser uma área que tem pouca população e tem rios e chanas, indispensáveis para o incentivo da agricultura.


“Apelo aos agentes económicos a afastarem-se e não limitarem-se apenas nas cidades grandes, invistam também em cidades pequenas porque daqui a nada as cidades grandes vão ficar sem capacidade agrícola”, disse.


O director-geral do projecto “ Catoca”, Ganga Junior, disse que este programa é de extrema importância porque não é um caso novo, há vários países aqui mesmo próximo como a Zâmbia, Zimbabwe, que tem uma experiência muito grande no desenvolvimento da piscicultura e que serve para melhorar a dieta alimentar, exemplificou.


“Esta é apenas uma etapa da piscicultura, existem outros sub-programa do nosso programa, mais o objectivo seguinte é passarmos para a industrialização, e nos primeiros dois meses deste projecto, disponibilizamos um montante de um milhão de dólares”, afirmou.


No encerramento do acto, a governadora Cândida Narciso disse que “o diamante que todo mundo fala está a mostrar os seus frutos, pois os diamantes não se podem comer, mas criam as condições financeiras para serem utilizadas para a reconstrução dopais”.

“Vamos fazer deste projecto como nosso para que possa ser mais tarde replicado, e vamos a partir deste fazer tudo para que saia daqui uma grande empresa e chegarmos as industrias para diminuirmos as exportações e fortalecermos as indústrias a nível nacional”.


Na ocasião, foram ainda entregues três tractores e duas viaturas para apoiar o referido projecto de piscicultura da comuna de Mona Quimbundo, província da Lunda Sul.





 Imprimir    Indicar

Postar um comentário